Dicas e tipos de investimentos para começar a investir

Dicas e tipos de investimentos para começar a investir

Nada melhor que começar o ano com metas financeiras estabelecidas e, junto com elas, começar a fazer os primeiros investimentos. Entretanto, existem diversos fatores que podem postergar o passo decisivo na vida de um investidor iniciante e dificultar o processo do primeiro investimento. Em seguida, te damos algumas dicas para você começar a investir de maneira certa.

 


 

Quais são os primeiros passos para começar a investir?

 

“Como aprender a investir” é a pergunta mais feita por investidores iniciantes. E é fácil, basta pensar em como aprender uma nova matéria, um idioma, um novo assunto. 

 

É necessário seguir alguns passos, entretanto, se pular alguns deles, mesmo o que é básico poderá se tornar difícil, assim como qualquer outra coisa. Recomendamos que busque informações onde conseguir, sejam gratuitas ou pagas, com assessoria ou por conta própria, desde que você dedique tempo que considera suficiente na sua semana para aprender sobre investimentos e colocar em prática.

 


 

1. Conhecer o seu Perfil de Investidor

 

O Perfil de Investidor é o resultado de uma análise de características e informações pessoais, como: idade, estabilidade profissional, objetivos a longo prazo, nível de renda, dependentes, etc. Ele tem como principal objetivo indicar a carteira de investimentos mais adequada ao seu perfil. Você pode ser conservador, moderado ou agressivo.

 

Saber o seu perfil financeiro permite traçar uma meta de rentabilidade para a sua carteira de investimentos e escolher os melhores ativos. 

 


 

2. Escolher uma Corretora de Valores 

 

Com autorização do Banco Central e fiscalizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), as corretoras de valores são instituições financeiras que intermediam a compra e venda de ativos financeiros e estão dedicadas exclusivamente à investimentos. Seu objetivo principal é disponibilizar todos os tipos de investimento em um só lugar. 

 

O processo de abertura de uma conta é muito similar de como abrir em um banco. A diferença entre uma corretora e um banco é que seus produtos financeiros estão direcionados em aplicar o seu dinheiro e fazê-lo render recebendo juros. Enquanto isso, em um banco são oferecidos empréstimos, cartões de crédito, financiamentos, etc. e faz com que você pague juros. 

 

Para escolher a sua corretora, recomendamos conferir se possui:

  • Cadastro na CVM;

  • Selo “CETIP Certifica”;

  • Certificados BM&FBOVESPA;

  • Autorização para operar no Tesouro Direto;

 

E ainda, analisar:

  • Taxa Mensal;

  • Condições da Corretagem;

  • Taxas de Transferência (TED/DOC);

  • Taxa de Administração para aplicações no Tesouro Direto;

  • Benefícios Oferecidos.

 


 

3. Buscar orientação e atendimento especializado

 

Ao escolher a sua Corretora de Valores, também verifique se a mesma oferece orientação profissional para os seus investimentos e possui um bom canal de atendimento especializado. Esse aspecto é imprescindível já que te ajudará a encontrar os investimentos de acordo com o seu perfil, a aprender sobre como cuidar dos seus investimentos, entre outros.

 

Uma outra dica é encontrar um assessor por fora da sua corretora de valores que te ajudará com essas questões. Ou ainda, buscar canais no YouTube ou blogs que ofereçam esse conteúdo gratuitamente para te auxiliar no aprendizado sobre esse novo tema.

 


 

4. Diversificar a Carteira de Investimentos

 

A diversificação de investimentos é uma técnica que consiste em distribuir o seu capital em diferentes aplicações financeiras e ativos do mercado financeiro. O principal objetivo da diversificação é a diminuição dos riscos a longo prazo, maximização de retornos e principalmente garantir a busca por novas oportunidades e pelo equilíbrio.

 


 

5. Criar o hábito de investir

 

Tenha um objetivo claro sobre os seus investimentos e, assim que receber a sua renda mensal, já transfira para a sua corretora. Se possível, deixe programado um valor para ser descontado da sua conta mensalmente, assim você não corre o risco de esquecer. Não deixe para fazer investimentos no fim do mês ou se sobrar dinheiro. Pague-se primeiro e lembre-se que essa atitude é para você no futuro. 

 

Outra dica para iniciantes é acompanhar os seus investimentos uma vez por mês para diminuir a ansiedade. Assim que o dinheiro for transferido para a corretora, entre na sua conta e aplique os investimentos desejados, além de verificar todas as informações necessárias para o mês.

 


 

Onde começar a investir? Que produtos são recomendados?

 

É preciso cuidado na hora de escolher os seus primeiros ativos. Abaixo você encontrará os investimentos mais recomendados para quem quer iniciar nesse mundo em 2020.

 

1º · Tesouro Selic

 

Um dos investimentos mais recomendados para investidores iniciantes e perfis conservadores. O Tesouro Selic é um título público negociado pelo Tesouro Direto, ou seja, é um tipo de investimento emitido pelo governo brasileiro para arrecadar fundos, sendo um tipo de ativo de renda fixa e atrelada à taxa Selic. 

 

Vantagens do Tesouro Selic:

  • Fácil de investir;

  • Rentabilidade mais alta do que a poupança;

  • De baixo risco e com boa liquidez;

  • Ideal para reservas de emergência.

 


 

2º · Certificado de Depósito Bancário (CDB)

 

O título CDB pós fixado é o mais comum e, assim como o Tesouro Selic, também é um investimento em renda fixa. Entretanto, esse título de investimento é emitido por bancos e sua taxa de rentabilidade é atrelada ao CDI, o percentual do índice de referência utilizado. O CDB é utilizado para investimentos a curto e médio prazo, sendo recomendado um período de 1 a 5 anos para poder usufruir de uma boa rentabilidade.

 

Vantagens do CDB:

  • Rendimentos com possibilidades acima de 100% do CDI;

  • Possui garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) para até R$ 250 mil;

  • De baixo risco;

  • Ideal para diversificar a carteira de investimentos.


 


 

3º · Fundos Imobiliários 

 

Os fundos imobiliários (FIIs) são fundos de investimentos de condomínio fechado, ou seja, consistem na compra de cotas para participação ou até mesmo na aquisição de imóveis, por exemplo: shoppings, hospitais, universidades, prédios comerciais, etc. Os fundos imobiliários obtém renda por meio da locação, venda ou arrendamento do imóvel, sendo assim, sua renda é variável. Investir em um fundo imobiliário é simples, entretanto, é necessário realizar a escolha do fundo com cautela, já que pode-se perder dinheiro com esse tipo de investimento. Busque assessoria ou estude muito bem o mercado antes de adquirir o seu.  

 

Vantagens do Fundo Imobiliário:

  • Com baixa na Selic, os FIIs valorizam e potencializam as chances de ter lucro;

  • Isenção de Imposto de Renda nos rendimentos (com pré-requisitos);

  • Venda de cotas a qualquer momento;

  • Baixo custo e liquidez alta;

  • Rentabilidade muito maior do que um imóvel físico;

  • Ideal para diversificação de investimento e a longo prazo.

 


 

É importante começar a investir o seu dinheiro o quanto antes, já que o tempo é o melhor amigo do investidor. Estude e aprofunda os seus conhecimentos de educação financeira, porém, não espere saber tudo para começar. O importante é conhecer o seu perfil de investidor, quanto você terá por mês para investir e quais tipos de investimentos são de baixo risco para começar. Qualquer investidor experiente te dirá que o único arrependimento foi não ter começado antes. Faça desse ano aquele em que o dinheiro trabalhará para você! 

 


 

Publicado por Kreditiweb

comentarios0 comentários

Deixe um comentário

Ao confirmar o envio da pergunta, você aceita os termos de uso e política de privacidade Termos de Uso e Política de Privacidade.
Cargando

Seu comentário foi adicionado corretamente

Muito obrigado por enviar um comentário. Seu comentário será revisado e se cumpre com os requisitos será publicado.

Erro a adicionar seu comentário